Viaje com o seu patudo em Portugal!

Todos os que têm animais de companhia gostariam de os levar consigo em transportes públicos durante as suas viagens pelo território nacional. E sabia que o pode fazer?

Na rádio Vagos FM com a Veterinária Dra. Ana Neves

Fonte: Vagos FM

Rúbrica com a Dra. Ana Neves

Olá a todos!

O meu nome é Ana Neves, médica veterinária na ClinicZoo – Clínica Veterinária de Vagos, e dou-vos as boas-vindas a mais uma rúbrica dos “Minutos Vet”.

O tema que vamos abordar hoje é de grande importância para todos os que têm animais de companhia e gostariam de os levar consigo em transportes públicos durante as suas viagens pelo território nacional. Vale ressaltar que as regras para deslocações para o estrangeiro podem variar, sendo fundamental informar-se previamente sobre as condições específicas de cada meio de transporte.

Independentemente do destino, aplicam-se algumas regras gerais para a circulação de animais de companhia. Estas incluem a identificação através de um microchip e, no caso dos cães, a necessidade de uma vacina antirrábica válida, registada no boletim de saúde do animal.

É imprescindível que esteja na posse da documentação do seu animal, incluindo o boletim sanitário e o comprovativo da inscrição do microchip na base de dados do CIAC (Centro de Identificação Animal e Controlo). Geralmente, esta documentação é entregue pelo veterinário assistente.

Outro aspeto crucial a ter em consideração é a contenção adequada dos animais durante o transporte. Gatos e cães de menor porte podem ser transportados em transportadoras, enquanto os cães maiores devem utilizar material apropriado. É fundamental garantir que os animais não representem qualquer perigo para as pessoas na via pública.

Importante referir que existem regras específicas para cães considerados perigosos ou potencialmente perigosos quanto ao transporte em transportes públicos. Até o momento, a circulação destes animais nestes meios continua proibida. Ao circular na via pública, não se esqueça do açaime nos cães considerados perigosos ou potencialmente perigosos, além de garantir que utilizam material de contenção com um tamanho máximo de 1 metro.

As regras podem variar um pouco no caso dos cães de assistência, de modo a facilitar o transporte e assegurar as condições necessárias para estes animais. Tenha em mente que, em períodos de maior afluência, o transporte de animais na via pública pode ser recusado. Espero que estas informações tenham sido úteis.

Até à próxima semana. Obrigada!

Palavras Chave

  • Viajar

  • Portugal

  • Transportes Públicos

Artigos Recentes

Os nossos serviços

Visite a nossa petshop

Cuidamos verdadeiramente
do seu animal

Contacte-nos